Início > Internet, Mercado, Opinião > Navegar é preciso

Navegar é preciso

Ainda por conta do problema que já coloquei aqui com a companhia telefônica* e sua presteza em me atender, estou sem acesso à internet em casa, o que prejudica muito a freqüência com que posso postar alguma coisa. Poderia, claro, ao pensar num assunto de interesse, para compartilhar com outras pessoas, escrever em casa (o computador não tem problema nenhum, funciona que é uma beleza, só não se conecta, não tenho placa faxmodem para conectar pela discada e a linha não “tem disponibilidade” no momento para conexão ADSL), num editor de texto, até numa versão offline do wordpress para saber como fica no final.

Mas sabe que descobri não ser a mesma coisa? As atividades que hoje tenho no computador mudaram tanto que nem me reconheço. Tanta coisa que fazia, corriqueiramente, agora sem a internet parecem meio sem graça, não só a falta de navegar mesmo, de procurar coisas novas, mas trabalhar no site offline, que é necessário para os testes que faço antes de colocar no ar (um portal de linux que mantenho junto com amigos), agora são mais difíceis. Outras coisas que raramente fazia e hoje não parecem estranhas mais, como ver vídeos e filmes, ler livros inteiros. “Naquela tela?”, diriam alguns, eu também acho, mas está divertido fazer isso agora. Simplesmente está divertido, o que mais posso dizer?

Tem alguns textos e revistas virtuais que acompanho, acho a leitura mais simples agora, apesar de baixar a revista enquanto estou no trabalho, guardar no pendrive e só ler depois de organizar as coisas em casa (tem umas 5 ou 6 que ainda não li, levei várias e ainda tinha outras, de quando podia contar com a internet) .

Alguns textos, justamente por serem direcionados a usuários de computador que estão diante dele no momento da leitura, trazem links, essa parte eu perco, porque não posso acessar no momento que os vejo e me esqueço de procurar por isso quando chego ao trabalho. Porém quase sempre isso não é necessário para o entendimento, apenas um complemento e também tem pouca coisa que o texto quer dizer e não está ali já escrito, uma grande vantagem. Já que algumas das coisas que deixei de ler foi justamente por isso, me acostumei (até demais) com o Google, dúvidas? dá uma googlada que passa. Tirava as dúvidas e nem sequer me dava ao trabalho de anotar a solução, uma vez que o oráculo parecia estar sempre ali, ao alcance de um clique.

Agora para ler coisas que dependem de internet, precisa ter tempo enquanto estou no trabalho, o que nem sempre é verdadeiro, para escrever aqui, idem. Aí vejo a falta que a internet faz, já me conformei como desplugado, desconectado, com minha nova vida offline. Não é ruim ser assim, aproveito o tempo de outra forma, mas sei das facilidades que perdi. Sei que ainda não estou preparado para viver longe da tecnologia, mas também sei que não dependo dela como imaginava, há um meio termo que não é muito diferente do que havia imaginado que fosse. Pensando assim parece até que me libertei de um mal qualquer, o que não é o caso, para quem não sabe dosar, para quem deixa a vida virtual tomar espaço da vida real isso é um problema e eu estou vivendo justamente o oposto disso agora, conheço a tecnologia e gosto dela, apenas não tenho o acesso no momento.

Se alguém acha que estou em apuros, recomendo que se desligue da internet um pouco também, mal não vai fazer, garanto. Mas se é justamente o contrário, acha que agora que começo aviver ou aproveitar o que avida tem de melhor, aí a recomendação é para parar de ter medo dos computadores, eles não mordem e nem tudo o que você fizer vai invariavelmente destruir todos os dados que o computador contém além de espalhar um vírus mortal em toda a rede do planeta. Além disso, do perigo não ser assim tão grande (é sempre bom lembrar, o risco existe, apenas não é tão grande como pintado, nem também é tão pequeno como os que usam windows por opção ou por falta de conhecimento gostariam que fosse**), você pode se surpreender com o número de coisas interessantes que se pode fazer com um computador e pode até gostar, não custa tentar.

P.S. Algumas observações importantes:

* A indisponibilidade de ADSL informada pela BrasilTelecom, segundo eles, se deve a 2 fatores, falta de portas disponíveis na central que atende o lugar onde moro, cancelei uma linha e comprei outra, a pessoa que compartilhava a conexão comigo numa rede para os 2 computadores em casa comprou depois de mim e já tem ADSL.

O outro fator é a distância da casa até a central, superior a 3 km o que inviabiliza a habilitação da linha. Apesar de saber que essa distância é de 2 km ou menos, sei onde ficam as 2 (minha casa, óbvio, e a central), acho essa explicação mais plausível. O problema é que talvez com medo que eu não completasse o cadastro da linha telefônica (você só pode saber da disponibilidade de ADSL se contratar a linha telefônica e ela estiver funcionando, uma falta de respeito, já que eles dão a informação, depois da linha instalada pelo CEP) e depois com medo que eu a cancelasse, foi muito difícil que alguém me dissesse que esse problema da distância era uma das possibilidades. Bom saber o motivo real (se for esse mesmo), mas ruim saber que não há a menor previsão de quando poderiam me atender.

** O risco de se usar o windows na internet não se refere apenas à navegação irresponsável, abrir arquivos de fontes desconhecidas e outras práticas arriscadas. Um computador rodando windows XP SP2 não é seguro ao se conectar nem por meia hora, sem sequer abrir o navegador, só por estar conectado. Qualquer pessoa que acompanha blogs de notícias de informática já ouviu falar de brechas de segurança, qualquer sistema que esteja em uma rede (a internet é uma rede também) é vulnerável. Não é uma questão de ser passional, são fatos.

Eu não sou daqueles que adora o Linux e por isso odeia a Micro$oft (como já disse aqui e apesar de grafar o nome da empresa com um cifrão, apenas por ser a marca registrada dela), uso os 2 sistemas. Só que quando vou navegar na internet prefiro, por razões de segurança, usar sempre o Linux. Poderia dizer que é porque nunca tive problemas fazendo assim, mas isso seria muito pouco. Não conheço nem ouvi falar de que alguém tenha conseguido, mesmo com um comportamento considerado irresponsável no windows, prejudicar seu sistema navegando com Linux, já o contrário, mesmo com todas as precauções não é garantido.

Opiniões inflamadas à parte, vou tentar assegurar que meu computador continue funcionando bem e os dados dentro dele estejam a salvo.

Categorias:Internet, Mercado, Opinião
  1. San
    outubro 3, 2007 às 6:38 pm

    Já tive acesso a internet em casa e pelos mesmos problemas (distância) hoje não tenho, e até concordo, quem nunca teve esse acesso, pode ficar tranqüilo, ninguém morre por não ter, já outros encontraram a “morte” ou um meio de encontrá-la, sei lá…

    Mas voltando ao assunto, quando tinha internet em casa, era meio doentio, confesso que acordava pela manhã e antes mesmo de tomar café, ligava o micro, isso, quando não deixava ligado da noite para o dia…rs

    Hoje, sem o acesso, escrevo… uma das coisas q mais gosto de fazer, além de gostar de ler já a TV não tenho esse prazer, não sei onde o perdi, já tive, hoje não mais.

    Mas no trabalho é impossível ficar sem internet porque todas as informações que recebo vem pela internet, passo maior parte do tempo na Internet, quando não, respondendo e-mails o dia todo e tal.

    Acho legal ter acesso a internet, mas acho q como Teseu, encontrei outra forma de me “distrair”….

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: